Por que a Advocacia é importante para a Sociedade?

Por que a Advocacia é importante para a Sociedade?

 

Fonte: Enviajus

O exercício da advocacia é uma das atividades mais antigas na evolução histórica mundial. O termo “honorários” como sinônimo de remuneração surgiu na Itália, tendo em vista que advogados e advogadas recebiam honrarias pela sua atuação, ao invés de um salário. Já o título de Doutor (a) foi concedido por Dom Pedro I, em 1827.

A advocacia é relevante e imprescindível para a sociedade, já que possui a função social de tutelar os direitos dos cidadãos, vindo, assim, a ser indispensável para a administração da justiça (vide art. 133, CF/1988 e Art. 2º, § 1º da Lei nº 8.096/94).

Aqueles que exercem a advocacia detém capacidade postulatória para defender os interesses dos cidadãos que os procuram, tanto judicial como extrajudicialmente e, além disso, prestam assessoria e consultoria jurídicas a fim de indicar os melhores caminhos, dentro da legalidade, para o máximo de chances em obter êxito em questões pessoais e patrimoniais, de tal modo que colaboram com todos os órgãos envolvidos com essa prestação jurisdicional. (vide Art. 1º, Lei n º 8.096/94 – Estatuto da Advocacia e OAB)

Em respeito a notória autoridade da advocacia, o artigo 6º da Lei nº 8.096/94 determina que “não há hierarquia nem subordinação entre advogados, magistrados e membros do Ministério Público, devendo todos tratar-se com consideração e respeito recíprocos”, assegurando, inclusive, que “as autoridades, os servidores públicos e os serventuários da justiça devem dispensar ao advogado, no exercício da profissão, tratamento compatível com a dignidade da advocacia e condições adequadas a seu desempenho”.

Portanto, ao exercer sua função profissional, advogados e advogadas viabilizam a manutenção e a harmonia do Estado Democrático de Direito e da sociedade e merecem a máxima valorização, reconhecimento e respeito.

Ressalte-se que para estar apto ao exercício da Advocacia a pessoa deverá se graduar em bacharel (a) em direito, em seguida ser aprovada no exame da Ordem dos Advogados do Brasil e, somente a partir de preenchido esses dois requisitos, a pessoa estará apta a praticar as funções estabelecidas nos regulamentos que regem a profissão.